14.11.06

Para a Joana:

Aqui, do meu lado, poder-te-ia falar do homem de lábios carnudos que sei. Não do homem de lábios carnudos que sou. Não tanto do rosto comprido que te afasta. Homem alto de lábios carnudos conquista Rita de rosto ímpar. Muito pouco poético, reconheço. Nada poético porque Falso. Verdadeiro é saber que nada nunca algum dia acontecerá. E nisso só vejo tragédia e canções tristes. Águas que rapidamente descem nas rugas. Um longo caminho até chegar aos teus lábios carnudos.

28.9.06

Para a mãe do Hugo:

Uma vez cheguei a casa às quatro da manhã. Na última hora de farra calculei o que dizer a Patrícia, coisas como estive a trabalhar ou o carro ficou sem gasolina. Mas tudo isso soava à mentira que na verdade era; seria melhor dizer a verdade, que ficara à porta de casa, dentro do carro, tentando recordar o rosto da rapariga que todos os dias visitava no café. A discussão seria tremenda. O despertador tocaria para o trabalho e nós ainda a meio de tudo aquilo. Por fim, eu adormeceria de cansaço e ela desmaiaria toda a cena no que vestir, no pequeno-almoço a tomar e num bater de porta mais firme.

Para o Hugo:

Abomino ser adulto e por vezes vejo em mim uma disfunção qualquer. Réstias de adolescente ou pensamento do velho que rápido se aproxima?

17.9.06

Com elas seria mais forte, mais lúcido e mais generoso. A ética que se foda.

14.9.06

Pistas da Blue 4

Pistas da Blue 3

Pistas da Blue 2

Pistas da Blue 1

1.8.06

Brevemente, perto de mim...

30.6.06

Arca de Noé

Ingénuas, cínicas e infantis: três das qualidades que admiro nas mulheres. As CocoRosie personificam-nas na perfeição e vão estar dia 3 de Julho na Casa das Artes. Aguardo poder ver os seus rostos.

26.6.06

A criadora de sonhos

Julie Atlas Muz: the next big thing...